Ações da Apple e da Tesla ficam mais “acessíveis” a partir de hoje

0
134

Empresas realizam um fracionamento das suas ações nesta segunda-feira, diminuindo o preço de entrada para novos investidores

Monitor da Nasdaq com símbolo da Apple em foto de 2019: empresa faz fracionamento de ações nesta segunda-feira (Michael Nagle/Bloomberg/Getty Images)

Um desdobramento (split) das ações da Apple e Tesla fará com que os papéis das duas empresas americanas sejam negociados por valores mais acessíveis na Nasdaq a partir desta segunda-feira (31). As empresas decidiram tomar a medida com o objetivo de “baratear” o preço individual das suas ações e atrair novos investidores. Na sexta-feira (28), os papéis da Apple encerraram o dia valendo 499,23 dólares cada um (aproximadamente 2.690 reais). Já as ações da Tesla valiam 2.213,40 dólares cada uma ao final do pregão (11.933 reais).

Com o movimento, as ações da Apple irão se desdobrar de uma para quatro, enquanto os papéis da Tesla sofrerão o split na proporção de um para cinco. Isso significa que as ações da Apple e da Tesla serão fracionadas em quatro e cinco partes respectivamente. Assim, será possível adquirir os papéis sem a necessidade um valor tão alto para comprar uma única ação.

Para se ter ideia, um lote de 100 ações da Apple custava na sexta-feira o equivalente a 49.923 dólares (mais de 269 mil reais). Com o fracionamento, o valor cairia para 12.480 dólares (67,2 mil reais).

Ambas as companhias estão preocupadas com o alto valor individual de suas ações por conta de disparadas recentes. No início do ano, os papéis da Apple eram negociados por volta de 300 dólares cada um. A empresa já acumula alta de 67% em suas ações. É a maior empresa do mundo em valor de mercado, avaliada em mais de 2 trilhões de dólares.

O caso da Tesla é ainda mais emblemático. Os papéis vendidos no começo de janeiro por 430 dólares já subiram 411%, quintuplicando o valor. Somados, os papéis da montadora de Elon Musk fazem com que a companhia atinja valor de mercado superior a 411,8 bilhões de dólares. O valor é menor do que a Apple porque, mesmo com ações mais caras, há menos papéis no mercado.

O fracionamento de ações é relativamente comum no mercado financeiro. A própria Apple já fez isso quatro vezes. Amazon, três. A Microsoft, nove. Intel, seis. Companhias que não atuam no segmento de tecnologia também já realizaram a desdobra de suas ações no passado. McDonalds e Coca-Cola fizeram isso nove vezes cada. Disney, oito.

Dados da consultoria financeira eToro reportados pelo site Business Insider mostram que, na maior parte dos casos, as empresas observam um aumento no valor de suas ações nos doze meses seguintes ao fracionamento. Os papéis da Amazon subiram 209% em média após cada um dos splits. Já as ações da Microsoft tiveram alta média de 47%.

Por outro lado, houve queda de 6% e 13% nas ações de Alphabet (Google) e Samsung após o desdobramento. Ambas as empresas só fizeram isso uma vez.

No caso da Apple, a eToro lembra que as ações da companhia de Cupertino caíram 61% nos doze meses posteriores do primeiro split, em junho de 2000. Nesta época, porém, as empresas de tecnologia sofreram no mercado de capitais por conta do estouro da bolha do pontocom. Nos desdobramentos seguintes, em 2005 e em 2014, as ações da Apple subiram 58,2% e 36,4% respectivamente no período de doze meses após o ato.

A expectativa da consultoria é de que as ações tanto da Apple como da Tesla subam por volta de 33% durante os próximos 12 meses.