Ao custo de R$ 116 mil, GDF compra 12 mil kits de teste rápido para dengue

0
91

Material começa a ser entregue nesta semana, diz Secretaria de Saúde. No final de semana, tendas detectaram 221 confirmações em 580 testes.

Material usado no teste rápido para dengue (Foto: Dênio Simões/Agência Brasília)

Material usado no teste rápido para dengue (Foto: Dênio Simões/Agência Brasília)

Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou nesta segunda-feira (15) que adquiriu 12,5 mil kits de testes rápidos de dengue, ao custo de R$ 116,2 mil (R$ 9,30 por unidade). A previsão da pasta é de que o material seja suficiente para atender a rede durante 20 dias. O material deve chegar até o fim desta semana.

Segundo a secretaria, o pedido de compra foi feito por meio de um pregão eletrônico depois que foi detectada a falta de estoques nas unidades de saúde. O governo diz que os kits vão suprir a necessidade “até o final do período crítico” em hospitais, UPAs e centros de saúde.

A secretaria afirma que realiza uma média de 600 testes por dia. De acordo com a diretora das Urgências e Emergências da Secretaria de Saúde (Diure), Julister Maia, a pasta busca comprar mais materiais, conforme a demanda.

Em dezembro de 2015, hospitais da rede pública de Samambaia, Planaltina eTaguatinga ficaram sem os reagentes. Segundo um funcionário do hospital de Taguatinga, o material estava indisponível na unidade há mais de um ano.

As UADs ampliaram a capacidade de atendimento na última sexta-feira (12) e passaram a oferecer cinco tendas e 15 leitos para acelerar os exames de diagnóstico da dengue. Segundo o secretário de Saúde, Fábio Gondim, o trabalho busca desafogar a emergência do Hospital Regional de Brazlândia, região com maior número de casos da doença, e acelera o atendimento das pessoas que buscam a unidade.

Até esta segunda-feira, foram realizados 699 atendimentos e 580 testes rápidos na Unidade de Atendimento à Dengue (UAD) em frente ao hospital de Brazlândia. De acordo com o GDF, foram diagnosticados 221 casos da doença.

O espaço funciona de segunda a sexta, das 8h às 18h. A Saúde afirma que casos em que o tratamento do paciente não tiver sido finalizado até o último turno das sextas-feiras, a pessoas será enviada para a emergência do hospital.

Confirmações
O Boletim Epidemiológico mais recente aponta que Brazlândia teve até 11 de fevereiro 420 casos confirmados de dengue. Em seguida, aparecem São Sebastião (176), Planaltina (145) eCeilândia (133).

Um caso de morte por dengue hemorrágica foi confirmado – o da enfermeira e cunhada do vice-governador, Renato Santana. Outras três ocorrências são investigadas.

No sábado (13), seis médicos – quatro policiais militares e dois bombeiros – trabalharam nas tendas instaladas em frente ao hospital de Brazlândia. No último domingo, foram deslocados sete servidores da secretaria à unidade.

Os governos distrital e federal realizaram no sábado o Dia Nacional de Combate ao Aedes aegypti. A ação tem apoio das Forças Armadas. Ao todo, 220 mil militares (160 mil do Exército, 30 mil da Marinha e 30 mil da Força Aérea) começaram a atuar no combate ao mosquito em fevereiro.

Na primeira etapa, eles entregam panfletos com orientações para evitar a proliferação do mosquito. Em seguida, 50 mil homens visitam casas para fazer inspeções. A Saúde quer inspecionar todas as 821 mil residências do DF até o final deste mês.