Arruda pode voltar ao Buriti

0
246

A propaganda política nacional do PR que vai ao ar hoje à noite mostrará um partido alinhado com o governo petista da presidente Dilma Rousseff. Por outro lado, no Distrito Federal, as inserções de televisão da legenda não poupam críticas à gestão do governador Agnelo Queiroz (PT). As divergências de postura entre o diretório nacional do partido e o comando regional da sigla aumentam as especulações sobre qual será o posicionamento do PR nas eleições locais no ano que vem. Os dirigentes partidários do DF defendem o lançamento de candidatura própria em 2014. O nome mais forte para a disputa é o do ex-governador José Roberto Arruda, recém-filiado à legenda. Mas o PR continua com cargos no governo e, entre aliados de Agnelo, persiste a expectativa de que o partido volte à base aliada do Palácio do Buriti.

O PR fez parte do grupo de sustentação do GDF até setembro, quando houve uma alteração no comando da sigla como forma de preparação para a chegada de Arruda. O então presidente regional, deputado Ronaldo Fonseca, aliado de Agnelo Queiroz, deixou o cargo por conta da mudança dos rumos de posicionamento. Aliados do ex-governador receberam carta branca do diretório nacional do PR para comandar a organização e formar coligações para a corrida eleitoral de 2014.

O presidente do PR no Distrito Federal, Salvador Bispo, explica que a permanência do partido na base de Dilma Rousseff não tem influência nas decisões locais. “Quando assumimos o partido, recebemos total liberdade de atuação. Não me oponho a um possível apoio do partido à Dilma, mas aqui estamos à vontade para a campanha do ano que vem. Participaremos das eleições locais com total autonomia”, afirma Salvador.