Com estoques baixos, bancos de leite do DF pedem doação

0
108

Alimento beneficia 150 bebês prematuros diariamente na rede pública. Interessadas podem solicitar recolhimento domiciliar pelo telefone 160.

Enfermeira organiza geladeira com estoque de leite materno no DF (Foto: Agência Brasília) (Foto: Agência Brasília)

Enfermeira organiza geladeira com estoque de leite materno no DF (Foto: Agência Brasília)

O Distrito Federal lançou campanha para pedir doação de leite materno, por causa dos baixos estoques na rede pública de saúde. Aproximadamente 150 bebês prematuros, de baixo peso ou doentes, precisam diariamente do alimento. Mães interessadas em contribuir podem procurar o banco mais próximo de casa ou ligar para o telefone 160, opção 4, e solicitar o recolhimento domiciliar.

“Precisamos da ajuda das mães saudáveis que estão em casa amamentando seus bebês. O leite materno é o melhor alimento para qualquer criança, mas para quem está internado é essencial para ajudar na recuperação. Até pequenas quantidades são importantes, porque com um mililitro de leite podemos alimentar um bebê”, disse a coordenadora dos Bancos de Leite do Distrito Federal, Miriam Santos.

Segundo a gestora, 51 mil bebês nasceram no DF em 2015, mas apenas 5 mil mães se tornaram doadoras. “Acreditamos que muitas mulheres poderiam ser doadoras, mas algumas talvez não saibam como devem proceder”, afirmou.

A coordenadora explica que é importante que as mães apresentem os exames realizados durante o de pré-natal, entre eles, o hemograma. Caso os bebês delas já tenham atingido 1 ano, os exames precisam ser feitos novamente. Além de ser uma exigência legal da Vigilância Sanitária, os resultados são indispensáveis para verificar se a mãe está apta ou não para a doação.

“Apenas o Hospital Materno Infantil precisa de, pelo menos, dez litros do alimento por dia para atender a demanda e, após a pasteurização do leite, é necessário aguardar 72 horas para oferecê-lo ao recém-nascido. Por isso é necessário manter uma quantidade de alimento razoável nos bancos”, informou Miriam.

Atualmente, a Secretaria de Saúde possui dez bancos de leite humano e dois postos de coleta. Há outros dois bancos do governo federal no Hospital das Forças Armadas e no Hospital Universitário de Brasília. Na rede privada, há mais três bancos e um posto de coleta.

Como ajudar
Para doar, as mães podem se dirigir a um dos três postos de coleta em Brasília – o de São Sebastião, o de Samambaia e o do Hospital São Francisco, em Ceilândia –, entregar o material a um dos bancos de leite ou ligar para o número 160, opção 4, e pedir que o líquido seja buscado pelo Corpo de Bombeiros.

A Secretaria de Saúde informa que todo leite recebido passa por um processo de controle de qualidade e pasteurização. O prazo de validade é de seis meses.

Durante a coleta, é importante lavar bem as mãos e prender os cabelos para evitar que os fios caiam no vidro. As mães precisam estar em perfeitas condições de saúde para doar. O leite deve ser acondicionado em vidros de boca larga e com tampa de plástico, fervidos previamente por 15 minutos. Após a coleta, o recipiente deve ser colocado imediatamente no freezer de casa, onde pode ficar no máximo 15 dias armazenado.