Defesa Civil mantém interdição em prédio onde ocorreu explosão

0
413

A Defesa Civil do Distrito Federal mantém nesta segunda-feira (16) a interdição ao bloco C da quadra 409 Norte, em Brasília, por causa da explosão ocorrida neste domingo. Moradores e comerciantes do prédio só podem entrar no local, onde há 73 kitinetes e lojas comerciais, excepcionalmente, com autorização e acompanhados.

Análise inicial do Corpo de Bombeiros indica que a explosão foi decorrente de um vazamento de gás em um restaurante do bloco. O acidente aconteceu por volta das 7h30 deste domingo e deixou três pessoas feridas sem gravidade. Não foi registrado incêndio em decorrência da explosão.

Conforme a Defesa Civil, estruturas importantes da edificação foram comprometidas, como colunas, vigas e lajes. “Há realmente um perigo”, falou o secretário da Defesa Civil, coronel Luiz Carlos Ribeiro. “Vamos garantir que ninguém entre para não ser ferido ou machucado.”

A administração do prédio foi contatada para contratar uma empresa que emita um laudo sobre o risco de desabamento.

A síndica do local, Adriana Moura, informou neste domingo que os condôminos estão sendo todos avisados sobre quais medidas serão tomadas por parte do condomínio. Adriana disse que a empresa que administra as contas do prédio tem seguro e que está sendo verificado o que os moradores poderão receber de indenização.

Além de destruir o restaurante onde estava o botijão de gás, a onda de choque provocada pela explosão atingiu 100 metros, causando prejuízos em lojas contíguas, prédios vizinhos e apartamentos localizados nos pavimentos superiores do edifício.

Com o impacto, vidros de quitinetes do prédio foram estilhaçados. Lojas do centro comercial também foram danificadas ou totalmente destruídas. Por recomendação dos bombeiros, todos os moradores do edifício tiveram que deixar os imóveis por questão de segurança.

Segundo o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Flávio Moraes, a edificação ficou bastante danificada. “Danificaram alguns prédios ao redor também. Está bem destruído, foi uma onda de choque muito intensa”, explicou o oficial.