Degraus incomodam

0
298

Os novos modelos dos “zebrinhas”, que passaram a integrar o Sistema de Transporte Público do Distrito Federal, em dezembro de 2013, tem causado transtornos aos passageiros, devido a distância para subir nos degraus, que é diferente dos demais coletivos do DF. Segundo diversos passageiros a elevação dos degraus em relação ao chão já ocasionou quedas, constrangimento e até mesmo dor nas pernas.

A passageira Evânia Prado conta que teve dificuldade ao subir em um dos coletivos por estar de salto alto. A poucas poltronas de distância, Nathália Carmo passou ainda por outra situação embaraçosa. “A abertura que você faz ao subir é muito grande e, como eu estava de saia, me senti muito constrangida quando percebi que o motorista estava olhando.”

De acordo com o gerente de vistorias do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), Cléber Carvalho, as zebrinhas anteriores atendiam as normas de 1997 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Na época, determinava-se que a distância entre os degraus e o solo deveria ter 37 cm, com máxima variação de 5%, o que resulta em altura máxima de 38,85 cm.

Os novos carros, contudo, obedecem ao regulamento atualizado, que data de 2009. Segundo este, a distância passou a ser de 50 cm. Apesar de respeitar as normas da ABNT, Carvalho afirma que o DFTrans buscará soluções para amenizar o problema. “O DFTrans se sensibilizou com a questão, e vai conversar com o fabricante para procurar fazer um ajuste fino na operação, trazendo mais conforto aos passageiros”, explica Carvalho.