Distrital Luzia de Paula destinou R$ 1,1 milhão para shows em Ceilândia

0
105

Show de 1 hora custou R$ 33 mil; deputada diz contemplar várias áreas. Emendas também construíram calçada de creche gerida por filha de Luzia.

A deputada distrital Luzia de Paula (Rede) destinou um total de R$ 1,158 milhão em emendas para festas e eventos culturais realizados em Ceilândia, no Distrito Federal, entre novembro e dezembro do ano passado. O balanço mostra que os shows chegaram a custar R$ 33 mil, com uma hora de duração.

Entre os artistas contratados estão a banda Cairo e Leo (R$ 28 mil de cachê), o grupo The Fingers (R$ 27 mil) e o cantor Júlio César (R$ 33 mil). Todos eles se apresentaram durante 60 minutos, de acordo com os contratos. O dinheiro do cachê saiu das emendas parlamentares, cotas usadas pelos distritais para realizar obras e investimentos nas “bases eleitorais”.

Em nota à TV Globo, Luzia de Paula afirmou que também destinou emendas a obras, saúde e Defensoria Pública. Ela diz que a área de cultura é uma das mais carentes do DF e que tenta priorizar artistas locais.

A TV Globo ligou para a banda Chiquita Bacana, uma das contratadas com as emendas de Luzia de Paula para um show de uma hora por R$ 30 mil. Questionados sobre o orçamento para uma formatura, os produtores informaram um valor bem mais baixo: entre R$ 6 mil e R$ 8 mil, por até três horas de apresentação.

A reportagem entrou em contato novamente com o produtor Emerson Oliveira, que afirmou que os valores são diferentes porque o show contratado pelo GDF precisava do grupo completo, com 17 integrantes. Para formaturas, a banda se apresenta em uma versão compacta e por isso cobra um valor menor.

Obra em creche
As emendas “culturais” não foram as únicas de Luzia de Paula a causar polêmica no ano passado. A deputada também destinou R$ 98,8 mil para construir um estacionamento na frente do Centro Salesiano do Menor, na QNN 31.

A obra foi estendida até a fachada de uma creche, no lote vizinho, que foi fundada por Luzia e é administrada por uma de suas filhas. Em nota, Luzia diz que o calçamento da área é “um pedido antigo da comunidade”.