Luiz Estevão nega depósito de US$ 1 mi na conta de ex- juiz

0
334

Acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter depositado US$ 1 milhão nas contas do ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, o ex-senador Luiz Estevão negou ontem que seja responsável pelo dinheiro. Ele apresentou  documentos de uma ação movida nos Estados Unidos contra o Delta Bank, instituição bancária da conta em que os recursos supostamente estavam, e o resultado de uma perícia particular — essa análise atesta que os documentos usados pelo MPF são falsos.

Luiz Estevão e Nicolau dos Santos Neto são acusados do desvio de R$ 169 milhões da construção do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo, em caso que veio à tona em 1999.

Na ação, movida em 2001 pelo ex-senador contra o banco norte-americano, Luiz Estevão pede que a instituição autentique todos os documentos usados pelo Ministério Público no processo que o acusa de ter feito as transferências à conta que o ex-juiz mantinha na Suíca.

Depois de transitado em julgado nos EUA, o banco enviou uma carta ao procurador Joseph A. Capone, responsável pelo caso, no qual reconhece que três papéis não eram “precisamente duplicatas dos documentos originais do Delta Bank”: a autorização à ordem de pagamento de R$ 960 mil, a outra, de R$ 40 mil, e um terceiro referente ao cadastro da conta chamada James Tower. Nesse último, o banco afirma que a assinatura de Luiz Estevão não era verdadeira.