Policiamento durante o carnaval no DF será reforçado com 1,5 mil PMs

0
252

A Polícia Militar do Distrito Federal vai reforçar a segurança nos quatro dias de carnaval com mais de 1,5 mil policiais – serão cerca de 5 mil PMs trabalhando por dia em todas as regiões administrativas do DF.

No Plano Piloto, a expectativa é que 15 mil pessoas compareçam diariamente aos eventos de rua, como nos desfiles dos blocos Baratinha, Galinho deBrasília, Baratona, Raparigueiros, Pacotão, Passarela da Alegria e Gran Folia. Duas aeronaves e 400 viaturas da PM serão usadas pela corporação durante o evento.

A Polícia Civil também vai reforçar o atendimento nas delegacias mais próximas aos desfiles de rua: serão 120 agentes a mais de plantão. A Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e a Delegacia da Mulher (Deam) também terão os plantões reforçados.

O Corpo de Bombeiros informou que vai disponibilizar 290 militares, que ficarão distribuídos em quartetos durante os desfiles.

Já o Detran terá 200 agentes posicionados pela cidade para reforçar a fiscalização e organizar o trânsito. Além dos 17 bafômetros do órgão, outros 20 aparelhos da Polícia Militar serão usados para medir o uso de álcool eventualmente consumido por motoristas.

Apesar de rumores de que policiais militares planejam deflagrar uma “operação legalidade” durante o carnaval, o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, disse não estar preocupado com eventuais problemas de segurança durante o feriado.

Nesta quarta-feira (26), cerca de 500 PMs protestaram em frente ao Congresso Nacional contra a prisão de 12 policiais militares que teriam incitado a “operação tartaruga”. O grupo ameaçou retornar a “operação legalidade”, que  consiste em reduzir a atividade policial. Os PMs deixam, por exemplo, de auxiliar na investigação no período imediato à prática de um crime e trafegam com as viaturas apenas na velocidade da via.

“Posso assegurar, e digo isso dentro da situação que temos vivido, que as forças de segurança estão trabalhando perfeitamente”, disse Avelar. “Reinvidicações é [algo] absolutamente legístimo. O que não é legítimo é partir para o tipo de ação que possa gerar prejuízo e colocar em risco a população. Isso tem sido já resolvido e as corporações estão todas conscientes do seu valor, da sua importância.”

“Tenho certeza que nesse período de carnaval vai haver comprometimento das nossas corporações, que vai acarretar em mais um carnaval pacifico no Distrito Federal”, disse.