Secretário defende corporação

0
291

O secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, disse que a segurança do Distrito Federal depende de várias ações do governo. Segundo ele, segurança não é responsabilidade somente da polícia, mas de todo um conjunto de ações que envolvem vários órgãos oficiais. O secretário participou, ontem (4), de uma reunião para debater a violência no DF, na Câmara dos Deputados.

Para Sandro, a segurança pública vai muito além das forças de segurança. “Iluminação, criança nas escolas, saúde, educação, o lar, tudo é segurança pública. Mas a cobrança é sempre feita em cima da PM, principalmente.” De acordo com Sandro, as reivindicações relacionadas à segurança só são expostos em ano eleitoral. “É bom isso ser mostrado, mas em outros anos também, e não só às vésperas de eleição.”

“O crackeiro não é mais responsabilidade da Segurança Pública, mas sim de outros órgãos do governo. O traficante sim é responsabilidade das forças policiais”, ressaltou Avelar durante o encontro com a bancada federal do DF.

Entre os presentes no encontro, estavam os senadores Gim Argello (PTB-DF), Cristovam Buarque (PDT-DF) e Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), este último, autor do convite para o encontro, o deputado federal Luiz Pitiman (PSDB-DF), o diretor-geral da Polícia Civil, Jorge Xavier, e o presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha.

Em mensagem ao poder Legislativo, pela abertura dos trabalhos na Câmara Legislativa do DF, o governador afirmou estar “tomando várias providências para coibir as práticas abusivas”.

Outro fator atribuído à violência no DF, pelo secretário Sandro Avelar, durante encontro com a bancada federal do DF, no Congresso Nacional, é a questão de menores infratores praticando vários crimes. Ele disse que a legislação brasileira permite que os adolescentes retornem às ruas rapidamente e voltem a cometer os mesmos crimes.

Sandro afirma que muito do que passa pela segurança pública no DF são problemas que passam pela legislação. “Sofremos aqui com essa legislação branda que permite que menores cometam crimes bárbaros e continuem inflacionando os números, muitas vezes, dificultando a atuação das autoridades policiais.”

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), quase 40% dos crimes cometidos no Distrito Federal são praticados por menores de idade. “Isso é uma mal que vem preocupando todo o País, não só o DF. Isso é uma preocupação comum de todo o secretário de segurança.”