Suspeito de matar morador de rua no Parque da cidade está preso

0
459

Suspeito de matar morador de rua teria desferido 39 facadas

Após a prisão do morador de rua suspeito de matar a facadas outro morador de rua na última terça-feira (12), no Parque da Cidade, a polícia apresentou as circunstâncias que motivaram o homicídio e como o fato ocorreu. Por volta de 2h do dia 12 de março, Silvestre da Paz, 19 anos, teria desferido 39 facadas contra Celso dos Santos Ferreira, 32 anos. O crime teria sido motivado por divergência sobre a posse de poucos gramas crack.

 De acordo com a delegada-adjunta da 1ª Delegacia de Polícia da Asa Sul, Renata Malafaia, do total de golpes desferidos por Silvestre, 27 perfuraram o homem e outros 12 produziram cortes mais superficiais. Como o laudo do Instituto Médico Legal (IML) ainda não saiu, é difícil precisar qual ferimento teria sido o determinante para o falecimento, mas a polícia ressaltou que como todas as facadas acertaram a região entre o tronco e o pescoço, órgãos vitais foram comprometidos. O morador de rua morto ainda teria agonizado e caminhado por mais de 100m antes de cair sem vida.

O Crime

Pouco depois da meia-noite, a vítima teria convidado Silvestre para fumar crack na Praça das Fontes, próximo ao bar Pirraça, no Parque da Cidade, e após consumirem parte da droga, o acusado teria tentado se apossar do resto do produto que estava com Celso. Como teria havido resistência, o suspeito teria usado uma peixeira para agredir o homem até a morte.

 “Depois do crime ele ainda chamou outros moradores de rua para mostrar o que ele havia feito”, contou a delegada Renata Malafaia. “Conseguimos capturá-lo em um abrigo na 903 Sul no dia 14 e ele confessou o crime. Mas diz que viu um facão na mochila da vítima e pensou que seria morto. Só que não houve sequer discussão entre os dois”, conclui.

 Silvestre acumulou passagens pela polícia quando menor de idade, mas após ter atingido a maioridade, esta é a primeira vez que é fichado. O rapaz de 19 anos está preso preventivamente e deve enfrentar a primeira etapa do julgamento em um mês. Caso seja condenado, pode pegar de 12 a 30 anos de prisão por homicídio qualificado.