Tarifa de taxi é reajustada em 23,52% pelo GDF

0
432

Bandeirada sobe de R$ 3,30 para R$ 4,08; bandeira 2 vai custar R$ 2,82.
Aumento do preço foi anunciado pelo governador Agnelo nesta quarta (20).

O valor da tarifa de táxi no Distrito Federal terá um reajuste médio de 23,52% a partir desta quinta-feira (21), anunciou o governador Agnelo Queiroz, em solenidade na sede do Sindicato dos Permissionários e Motoristas Auxiliares do Distrito Federal (Sinpetaxi-DF). O governador afirmou que o aumento é uma reposição das perdas da categoria nos últimos anos.Os custos com combustível, óleo, lavagem dos veículos e outros itens de manutenção foram levados em consideração para se chegar ao valor, segundo Agnelo. A bandeirada, preço de saída da corrida, não era reajustado desde 2002. O valor do quilômetro rodado (bandeiras 1 e 2) estava congelados desde 2009.Com a correção, a bandeira 1 passa de R$ 1,80 para R$ 2,22 (23,3% de acréscimo), e a bandeira 2 passa de R$ 2,28 para R$ 2,82 (23,6). A bandeirada passa de R$ 3,30 para R$ 4,08 (23,6%).
“Há uma defasagem muito grande. Desde 2002 que a bandeirada está sem reajuste, por isso é evidente que perde a qualidade do serviço. Então, o reajuste, que é de 23,52%, vai dar condições para um melhor funcionamento dessa atividade, que é tão importante”, afirmou Agnelo.Quando entrar em vigor, a nova bandeirada no DF será a sétima mais cara entre as capitais do país. A maior tarifa é praticada em Belém, no Pará (R$ 4,78). Em seguida vem o Rio de Janeiro (R$4,70), Campo Grande, no Mato Grosso do Sul (R$ 4,50), Cuiabá, no Mato Grosso (R$ 4,25), Natal, no Rio Grande do Norte (R$ 4,15), e São Paulo (R$ 4,10).

“Desde 2009 que o nosso quilômetro rodado não sobe. A gasolina subiu duas vezes, o pneu subiu três vezes, o álcool também subiu. O seguro total, que a gente pagava R$ 800, hoje está R$ 1.500. Então é pesado para nós. Nós também temos as nossas despesas”, disse a presidente do Sinpetaxi, Maria do Bonfim Pereira de Santana.

Novos Taxis

O subsecretário de Transportes do DF José Ronaldo Persiano afirmou que o governo deve abrir uma licitação para aumentar a frota de táxis em novembro deste ano. Ele disse que a concorrência prevê a inclusão de 646 novos carros para prestar o serviço na capital. Os detalhes do edital ainda estão sendo estudos, segundo o subsecretário.