TSE vai julgar processo com repercussão no DF

0
255
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve se posicionar, ainda este mês, sobre um processo com importante repercussão nas eleições do ano que vem. O deputado federal Luiz Pitiman (PMDB) recorreu à Corte para tentar trocar de partido sem perder o mandato. Considerado um importante nome para 2014, Pitiman deve ir para o PSDB, mas ainda avalia a possibilidade de migrar para o PSD.

O deputado federal vai se juntar a um importante grupo político da capital, que poderá reunir ex-integrantes do Palácio do Buriti, como Joaquim Roriz, Paulo Octávio e José Roberto Arruda. Os três também ainda avaliam qual rumo partidário devem tomar até 5 de outubro, prazo final para filiações.

Joaquim Roriz renunciou ao Senado em 2007 e Paulo Octávio deixou o cargo de governador em fevereiro de 2010. Já José Roberto Arruda teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em março de 2010, por infidelidade partidária. A expectativa na cidade é que Arruda se filie ao PR. Ele tem aparecido bem em pesquisas eleitorais elaboradas reservadamente por vários partidos.

Pitiman afirmou  que deixará o PMDB independentemente da decisão do TSE, o que poderia levá-lo à perda do mandato. Ele vem criticando ostensivamente a legenda. “Nosso objetivo é juntar ao menos 10 partidos para construir uma frente que traga importantes contribuições para o Distrito Federal”, explica o deputado.

Ele pretende unir PSDB, PSD, PR DEM, PP, PRTB, PTdoB, PTN, PSC e PROS. “Nossa meta é aproveitar o melhor que cada personagem da política de Brasília pode oferecer. Não preciso ser necessariamente candidato a governador: temos nomes experientes que podem ser titulares. Quero ser reserva técnica, posso ser coordenador de campanha, candidato a deputado federal, a cargo majoritário, qualquer coisa”, finaliza. (HM)